A.·. A.·.
Menu » Estudante » Biografias » Yihoveaum
A+-
Estudante

Biografias

Yihoveaum

" Meus amigos! ' Escapem!' Não sejam prisioneiros de imposições ou ilusões alheias, pois o que você pretende ser, é sempre inferior ao que você é (o alto estágio). Meu conselho, aos confusos, de boa fé é apreciar e obter qualquer uma de suas habilidades naturais e ignorar os críticos, auto-intitulados experts, convenções, idiomas, estilos, reações ou qualquer tipo de miopia e, se cabe outra análise, conclua em cima da habilidade descoberta que, sozinha, resiste a mórbida obliteração temporal. Muitas vezes parece estar entre o hábil homem que banca o tolo e o paspalho que o imita."

A.O.Spare.

 

Bruxo, feiticeiro, irmão negro, magista. Todas essas definições foram usadas para tentar descrever Austin Osman Spare sem, no entanto, refletir por completo a sua personalidade ou obra.

Dono de um sistema extremamente pessoal de magia, Spare talvez tenha sido, até mesmo mais que Crowley, quem mais valeu-se de usas habilidades naturais e da intensa auto-exploração.

Filho de um policial da cidade de Snowhill em Londres, Spare nutriu pouca afeição pela mãe, passando-a , posteriormente, a sua instrutora no oculto, Sra. Paterson.

Aos 14 anos ganha medalha de ouro por um tratado em geometria sólida. Aos 16 exibiu sua arte na Real Academia de Arte e, em julho de 1914, faz sua primeira exposição solo na Galeria de Baillie.

Sua arte, academicamente falando, guarda muita semelhança com a do movimento surrealista, tanto conceitualmente, quanto estilisticamente. Sendo, principalmente, resultado da exploração do seu inconsciente, a relação com o surrealismo ( que prezava também a exploração do inconsciente, só que de forma onírica, com base nos estudos de Freud e posteriormente de Jung) era estreita por esse motivo.

O dinamismo das figuras, mesmo estáticas, era característico de sua obra, devido a utilização de formas orgânicas, tanto nas imagens quanto no enquadramento e distribuição das informações em excesso.

Paralelamente, valia-se de um grafismo remetente ao art - noveau, onde vemos uma constante associação de molduras, símbolos e figuras geométricas. Normalmente nas pinturas, predominava as cores escuras, com predominância nas marrons e derivadas variando entre óleo à aquarela. A deformação humana era destaque em sua arte ( reflexo de alguma pertubação?)

Neste último, encaixa-se seus "desenhos automáticos" que expressavam mais integralmente a relação do seu inconsciente com suas experiências espirituais. Segundo ele próprio:

" Em alguns casos, as idéias são resultado das minhas experiências físicas interiores, coisas que eu necessariamente não vi ou experimentei fisicamente. Em outras os desenhos são automáticos, concebidos sem conceito na forma a se originar e sem nenhuma direção consciente".

É constante as zoomorficações em sua obra, como reflexo da mais íntima condição humana e arquétipica. Spare comungava constantemente com o mundo espiritual, valendo-se de entidades e desencarnados a fim de realizar seus objetivos.

 

O Pensamento Mágico de Spare

 

A Sra. Paterson representou a ligação definitiva dos natos talentos de Spare com o sistema "oculto". Dizia ela que seria uma descendente das bruxas de Salem e, segundo o próprio Spare, era uma feiticeira poderosa, capaz de materializar pensamentos ( embora fosse talento da mesma, Spare não conseguia fazer o mesmo freqüentemente).

Em 1909 começa a escrever a sua mais famosa obra, O Livro do Prazer, a Psicologia do Êxtase, que publicaria posteriormente em 1913.

No dia 10 de Julho de 1910, ingressa na A.·.A.·. sob o motto de Yihoveaum ( Eu sou a Eternidade) e inicia seu aprendizado com Aleister Crowley. Porém, Spare possuía opiniões muito fortes e conceitos definidos, devido a sua farta experiência espiritual e sensibilidade nata e discordava veementemente de certos conceitos mágicos tradicionais. Spare pregava a criação de um sistema mágico individual pois, segundo ele, entre outras coisas, a simbologia mágica tradicional carecia de profundidade conceitual, o que invalidava a prática: " O familiar é sempre estéril".

Levava a mais profunda interpretação do " Todo homem e toda mulher é uma estrela". Embora, para ele, a necessidade do auto - conhecimento com base em linguagem própria fosse imprescindível, o seu sistema, por ser muito pessoal, carece de didática, o que não ocorre com o clássico.

Logo depois, após uma revelação (vê Isis sem o véu penetrando num santuário secreto dos mistérios egípcios), deixa a A.·.A.·. para solidificar as bases do seu próprio sistema que posteriormente denomina de Zos Kia.

Uma outra versão de sua saída, seria de que ele, de alguma maneira, descobriu o significado principal do grau de Magister Templi e decidiu revela-lo, fazendo-o se indispor com Crowley. O segredo reside no lema hoje usada pela Chaos Magick: "Nada é verdadeiro, tudo é permitido".

O culto Zos Kia se traduz como a gnose de Spare. Através do seu O Livro do Prazer ele nos inicia em seus conceitos thanatos onde a Postura da Morte ( o método da gnose em si) é evidenciada. Seu motto Zos vel Thanatos ( " Zos ou Thanatos ou morte ou aspecto da morte, etc.") refletiu a base do conceito proposto.

Valendo-se da combinação da essência do sexo e da morte ( e seus aspectos) Spare promulga a revelação do Kia (o verdadeiro Eu, o Self ou no sistema thelêmico a verdadeira vontade revelada através do Sagrado Anjo Guardião) onde Zos é o "corpo como um todo", a ferramenta. A Postura da Morte deverá deixar o homem no estado gnóstico o orgasmo estático, a pequena morte, onde anulam-se os sentidos abrindo o véu do inconsciente aos desejos do magista.

Spare relaciona a " mão" com Zos e o "olho" com Kia, no sentido da auto- exploração em todos os aspectos: físicos sexuais, psíquicos e extra psíquicos. O toque ( a sensação, o prazer físico) e a visão ( a identificação do objetivo, a transcendência) definem o estímulo sexual do auto-amor.

O objetivo deve ser esquecido, pois a não-consciência do mesmo, é o que capacita o seu acontecimento. Para isso desenvolveu o conceito chamado " União através da mente ausente" onde por meio de sua técnica neurolingüística, Spare esquecia o objetivo unindo-o diretamente com o inconsciente, com o renascimento de uma nova consciência.

A sua obra influenciou na criação de um interessantíssimo sistema mágico, denominado de Magia do Caos onde o maior expoente é o Pacto I.O.T. ( Iluminates of Thanateros) concebido por Peter Carol.

Por demais pessoal e yesódica que seja o seu sistema, Spare deu uma contribuição valiosa ao sistema mágico mundial, que em hipótese alguma, deve deixar de ser estudado, por qualquer candidato a auto-realização.

 

Arte

topo